O Programa Mediação de Conflitos (PMC) faz parte da Política de Prevenção Social à Criminalidade desde 2005. Está inserido em equipamentos públicos denominados Unidades de Prevenção Social à Criminalidade, localizadas em 33 territórios de Belo Horizonte, da Região Metropolita e do interior de Minas Gerais, que atuam em mais de 200 territórios com alto índice de vulnerabilidade social, baixo acesso a diretos, baixo capital social e altos índices de violência.

As equipes de analistas sociais do programa, a partir de diversas técnicas, incentivam o diálogo, potencializam o capital social, viabilizam o acesso a direitos, contribuem para o fortalecimento e a mobilização comunitária. A intenção é construir com os moradores uma Segurança Publica Cidadã promovida pelos meios pacíficos de resolução de conflitos, a partir dos fundamentos da Mediação Comunitária, impactando na redução de possíveis desdobramentos em homicídios, violência e violações.

  

Centro de Prevenção à Criminalidade do Bairro PTB, em Betim

 

O Programa é organizado em cinco práticas de atendimentos metodológicos de atuação, que contribuem intervindo nas dinâmicas das violências e da criminalidade e, assim, no alcance dos objetivos traçados pela Política de Prevenção Social à Criminalidade. São elas:

Atendimento Coletivo:

Os atendimentos coletivos são realizados com mais de uma pessoa que vivencia um conflito caracterizado por uma situação de natureza coletiva, podendo ser pública ou não. São casos como os de conflitos entre vizinhos, infraestrutura, coletivização de demanda e outros, que têm em sua essência questões afetas à Segurança Pública e que podem ser trabalhados por meio da orientação ou mediação. A atuação do Programa nesses casos fortalece os vínculos entre os grupos, assim como a construção da solução do conflito de um coletivo por meio do diálogo e mobilização social, potencializando a responsabilização da comunidade frente à resolução destes conflitos.

Atendimento Individual:

O atendimento no caso individual é realizado com uma ou mais pessoas que apresentam o conflito caracterizado por uma situação de natureza individual, sendo atendidas através da mediação e da orientação. De forma geral, os indivíduos são encaminhados pela rede parceira, lideranças locais, indicação de outros atendidos, vizinhos, conhecidos ou por iniciativa própria. São realizados quantos atendimentos se mostrarem necessários para a demanda apresentada, podendo o atendido ser encaminhando para a instituição de referência ou especializada.

Ações de organização comunitária:

A concepção de organização comunitária é válida para todo o Programa, nas suas diferentes práticas. Isso se deve ao fato de, ao se consolidar enquanto um Programa Mediação de Conflitos, a forma de atuação realiza-se de maneira a buscar a transformação social nas áreas em que atuam. Contudo, essa transformação social, para ser sustentável e promover o maior bem-estar da população, deve, impreterivelmente, contar com a contribuição da comunidade para se realizar. Em última análise, deve ser feita na comunidade, pela comunidade e para a comunidade. Portanto, independentemente do que seja feito, deve ser alinhado com os interesses do público que é atendido.

Uma vez considerada a relevância das ações de organização comunitária para o processo de construção – e posterior garantia – da segurança pública cidadã nas comunidades, foram criadas três categorias de atendimento que visam incrementar essa possibilidade de intervenção. São estas: análise situacional comunitária, articulação de rede social mista e participação e/ou mobilização social.

Projetos temáticos:

Intervenções propostas pelas equipes técnicas a partir de uma leitura de fatores de risco e/ou proteção, bem como dos fenômenos de violência e criminalidade no território, que visam coletivizar demandas. Após a elaboração da leitura pela equipe, constrói-se uma ou mais intervenções junto a morador(es) da área em que o projeto será executado que terão como objetivo geral intervir no fenômeno identificado.

Projetos Institucionais:

São as ações macro pensadas pelo Mediação de Conflitos em nível estadual ou municipal, a partir da leitura gerencial da inserção do programa em suas diversas localidades. O eixo comporta instrumentos e ações amplos que abarcam os centros nos quais o programa atua, propondo intervenções que pretendem promover fatores de proteção ou garantir a execução institucional das atividades das equipes técnicas. Ao perceber a incidência repetitiva de alguns fatores de risco em contextos e localidades diferentes, procura-se criar de forma institucional estratégias comuns de intervenção.

Locais onde o Mediação de Conflitos atua:

Belo Horizonte

Cabana Pai Tomás
R. São Geraldo, 110 – Paróquia Cristo Luz dos Povos
CEP: 30516-250 . Tels: (31) 3321-3447 / 3386-1227

Conjunto Esperança/Vila Cemig
R. A, 10 – Conj. Vila Esperança / V. Cemig (Barreiro)
CEP: 30624-270 . Tels: (31) 3381-5557 / 3381- 5712

Conjunto Jardim Felicidade
Rua Tenente João Ferreira, 75 – Jd. Guanabara
CEP: 31765-330. Tels: (31) 3435-3569 /3435-1381

Jardim Leblon
R. Inglaterra, 226 – Jardim Leblon
CEP: 31540-360 . Tels: (31) 3451-3596 / 3450-7963

Minas Caixa
R. Manoel Cunha, 01 – Minas Caixa
CEP: 31615-350. Tels: (31) 3451-7329 e 3451-3568

Morro das Pedras
Av. Gama Cerqueira, 1.117 – Jd. América
CEP: 30460-360. Tels: (31) 3377-8626/3321-8657

Pedreira Prado Lopes
R. Marcazita, 238 - S. Cristovão
CEP:31230-730. Tels: (31) 3422-5693

Primeiro de Maio
R. Jaçanã, 5A – Primeiro de Maio
CEP: 31810-560 . Tels: (31) 3437-8933

Ribeiro de Abreu
R. Feira de Santana,12 - R. Abreu
CEP: 31872-040 . Tels: (31) 3435-9583

Santa Lúcia
R. São Tomás de Aquino, 440 – Vila Sta. Rita de Cássia
CEP: 30330-530. Tel: (31) 3297-5975

Serra
Engenheiro Lucas Júlio de Proença, 73, 2º andar – Vila Marçola
CEP: 30220-350 . Tel: (31) 3221-5990

Taquaril
R. Francisco Xeres, 120 -
CEP: 30290-110 . Tels: (31) 3483-2366 / 3483-2364

Vila Pinho
Av. Perimetral, 700, sobreloja – Vila Pinho
CEP 30.670-195 . Tel: (31) 3387-0102

Betim

Citrolândia
R. Dr. José Mariano, 743 – Via Nova
CEP: 32.641-540. Tels: (31) 3531-1223 / 3531-2345

Jardim das Alterosas
R. Ciprestes, 120 – Jd. das Alterosas, 2A Seção
CEP.: 32673-188. Tels: (31) 3595-4379/ 3595-4341

Jardim Teresópolis
R. Duque de Caxias, 401 – Jd. Teresópolis
CEP: 32680-140. Tels: (31) 3591-6940 / 3591-7422

PTB
R. Perciliana Ana de Jesus, 214 – Bairro Guanabara,
CEP 32.677-098 . Tels: (31) 3592-9419 / 3592-9508

Contagem

Nova Contagem
Av. VP 01, 1516 – 2º andar - Nova Contagem
CEP:32050-030. Tels: (31) 3392-8091 / 3392-8039

Ressaca
R. Iguaçaba, 115 – Vila Pérola,
CEP: 32110-040 . Tels: (31) 3357-7823 / 3357-7579

Governador Valadares

Carapina
Av. Raimundo Albergaria, 31 – Bairro Santa Helena,
CEP: 35059-090. Tels: (33) 3225-6433 / 3225-0249

Turmalina

Av. Coqueiral, 176 – B. Turmalina
CEP: 35020-460. Tels: (33) 3221-9250 / 3272-9838

Ipatinga

Betânia

Av. Gerasa, 3251 – B. Bethânia
CEP: 35164-056 . Tel: (31) 3827-3748

Juiz de Fora

Olavo Costa
Rua Jacinto Marcelino, 25 - Olavo Costa
CEP: 36021-530 Tel: (32) 3235-1023

Montes Claros

Cristo Rei
R. Jequitinhonha, 107 – Alto São João
CEP: 39400-302 . Tels: (38)3215-1897 / 3224-3009

Santos Reis
R. Geraldino Machado, 785 – Vila Áurea, Santos Reis
CEP: 39.400-807. Tels: (38) 3212-7622 / 3212-8116

Ribeirão das Neves

Justinópolis
Rua Bangu, 76 - Bairro: Cerejeiras
CEP: 33902-130 . Tels: (31) 3632-5170 / 3638-2427

Rosaneves

R. das Adálias, 62 –
CEP: 33240-200. Tels: (31) 3625-8928 / 3625-9317

Veneza

Av. Dionizio Gomes, 200 – Veneza
CEP: 33820-540. Tel: (31) 3626-3078

Santa Luzia

Palmital
R. Etelvino Souza Lima, 2401 – Palmital
CEP: 33140-050 . Tels: (31) 3635-6831 / 3635-4647

Via Colégio
R. Bahia, 782 – Via Colégio
CEP:33125-400. Tels: (31) 3637-3570 / 3636-8725

Uberlândia

Morumbi
Rua Couvual, 259 - Morumbi
CEP: 38407-387 . Tels: (34) 3216-8807 / 3212-9188

Jardim Canaã
Rua Betel, 332 - Jardim Canaã
Cep: 38412-434 . Tel: (34) 3227-6344

Vespasiano

Morro Alto
Av. Coletora 3, nº 90 – Morro Alto
CEP:33200-000. Tel: (31) 3621-1191